ENTRETANTO, A ANTIGA ESTAÇÃO DA CIDADE ALTA- SALAMBENDE MUCARI



O comboio partia da Estação Bungo, tinha a primeira paragem no apeadeiro da Chibera, ia em direcção à Câmara (hoje Governo da Província de Luanda), onde havia um apeadeiro, continuava até a Estação da Cidade Alta ( que surge aqui nas fotografias), onde parava de novo, seguindo em direcção aos Musseques, passava por meio de umas barrocas, onde se situava a Maternidade e ia até ao quartel dos bombeiros (que era um aeródromo), ali para os lados do Hospital Militar. 

 

Na esquina do outro lado da rua há um edifício também bastante degradado, a antiga habitação do chefe da Estação da Cidade Alta, posto bem mais cotado na época, a avaliar pelas condições da casa . 



Fisioterapia ao domicílio com a doctora Odeth Muenho, liga agora e faça o seu agendamento, 923593879 ou 923328762


Havia dois comboios de manhã , e dois à tarde . Essa linha foi desactivada em 1958, quando a expansão urbanística tomou conta da cidade . Depois disso durante muitos foi nesse local a Feira Popular de Luanda, antes de ter ido para a Samba, e de ter ido parar para o para o pé da Sétima Esquadra .


Hoje a antiga Estação da Cidade Alta tem duas lojas de conveniência ou lojas de Mamadou’s , uma “kapracinha” onde vendem ginguba e banana assada. O espaço também serve de habitação para algumas pessoas . Existe também uma placa que classifica o espaço como “Património Histórico Cultural”. 


É triste ver uma parte da história da cidade de Luanda a morrer desta forma . Um espaço com história, com memória e afectos a ser “abandalhado”. Que história vamos contar , que turismo cultural vamos promover se deixamos morrer espaços como estes ? A história se vai apagando aos olhos de todos e tudo por nossa culpa, nossa tão grande culpa. 


Sugiro ao novo Governador de Luanda, o ministro da Cultura e o  ministro dos Transportes que se reúnam e transformem este espaço num centro interpretativo dos Caminhos de Ferro de Luanda . Que seja um espaço onde os munícipes de Luanda, os turistas e investigadores possam conhecer a história da cidade que passa também por aqui . Tudo menos loja de mamadou ou "Kapracinha".


“Trabalhar melhor e comunicar mais " é o lema lá do Reino de Mucari. Qualquer semelhança é pura coincidência. 


NOTA : Lembro-me de ter cruzado aqui várias vezes com o Jotta VF , a São Gamboa Marques , o Eugénio Costa Almeida , Tomás Gavino Coelho , a Antónia Sopas , Isabel Reis e Suzana da Mata  na Estação da Cidade Alta. Um dia revelo o conteúdo das nossas conversas e a nossa visão sobre a independência nacional. O tempo...


Sukuama ! Mil vezes sukuama !




Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários