DJ NAILE "A VOZ DO GUETO QUE NÃO SE CALA" E A MENSAGEM AO PRESIDENTE EU SÓ VIM PEDIR SAÚDE- FERNANDO VUMBY



Quem pensa que eu não curto o kuduro  está  enganado, pois sendo a música um instrumento tão forte de comunicação popular.


Porque tenho que desprezar e logo o nosso kuduro que hoje até já se tornou mais famoso e popular do que a coca cola que está em toda parte do mundo ?


Eu curto sim o kuduro, o som e a batida embora não seja um grande bailarino desse som que exige muitos truques e uma certa performance.




Fisioterapia ao domicílio com a doctora Odeth Muenho, liga agora e faça o seu agendamento, 923593879 ou 923328762


Para poder se expressar com o corpo dizendo muita coisa sem ser preciso abrir a boca, já que um bom bailarino também consegue se expressar e escrever mexendo mesmo  só o seu corpo.


Já vivi  esse momento de expressão só com o corpo mesmo não sendo uma grande bailarino como disse. 


Foi numa festa no bairro popular, não estava a dançar kuduro, mas sim era a Candinha de David Zé, a miúda com quem dancei se comunicou comigo durante todo tempo enquanto dançávamos sem abrir a sua boca.


Seus braços sobre os meus ombros me transmitiam um sinal mágico e fantástico  e meu jeito lento cadenciado de dançar as músicas de David Zé. 


Se comunicava perfeitamente com ela  sem que eu precisasse  abrir a boca  e foi tiro e queda, pois afinal era uma declaração rítmica de amor á primeira vista.


Eu curto o Dj Naile e outros kuduristas que através das suas mensagens construtivas estão empenhados em transformar o espaço público em ferramenta para educar e promover  a cidadania. 

Mesmo apesar dos riscos que correm em Angola onde para o regime te  considerar de inimigo e barrar as tuas músicas basta que tenha uma passagem que diz verdades sobre a gestão criminosa de João Lourenço.


Mas o gueto precisa deixar de ser  sinônimo de pobreza e miséria, precisa se assumir. 


Como uma potência em termos de valores, pois é grande a qualidade de músicos com boas e valorosas mensagens que despertam a atenção.


Que mobilizam as consciências para direcionarem suas preocupações aos problemas. 


Com que os angolanos se debatem naquelas zonas onde nascem, crescem  e muitos morrem  quantas vezes não piores que cães num país tão rico como Angola ?





Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários