NOTA DE CONDENÇÃO E PROTESTO - GREVE DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS EM ANGOLA- CHOCOLATE BRÁS


Eu, Chocolate Adão Brás, Licenciado em Ensino da Psicologia pelo ISCED-Cabinda e Mestre em Administração Educação pelo ISCED-Luanda, ambas universidades públicas, tendo sido formado por docentes que têm uma péssima remuneração e condições de trabalho, que usam seus parcos meios para a investigação científica condeno e protesto a posição do governo angolano em relação a greve dos docentes universitários que já dura mais de dois meses. 


Considero uma falta de respeito e consideração à essa importante classe do país em construção que somos. Falta de seriedade e noção da parte de quem nos devia governar por não aceitar dialogar de forma franca e aberta com os nossos docentes!




Fisioterapia ao domicílio com a doctora Odeth Muenho, liga agora e faça o seu agendamento, 923593879 ou 923328762


Os docentes do ensino superior público não estão a pedir Lexus;

Os docentes do ensino superior público não estão a pedir Vivendas em Condomínios;

Os docentes do ensino superior público não estão a pedir preferência nas principais clínicas do país;

Os docentes do ensino superior público não estão a pedir passaportes diplomáticos para si, suas esposas e demais familiares.


Os docentes do ensino superior público estão a PEDIR fundamentalmente o seguinte:

1. Aumento salarial;

2. Seguro de Saúde;

3. Melhores condições de trabalho;

4. Fundo de apoio à investigação científica.


Se de facto valorizam a educação e os seus profissionais tenham ao menos a coragem de apresentar uma contraproposta às exigências dos docentes. 


Não deixem morrer o sonho de milhares de jovens que têm no canudo a esperança por um emprego ainda que com um salário mísero.


Me solidarizo e condeno. Sou fruto da universidade pública. Exijo respeito aos nossos docentes!


444 mil kz que ganha um Professor Catedrático é salário de técnico médio em algumas empresas públicas!


SEJAM GOVERNO PELO MENOS UMA VEZ NESTE QUINQUÉNIO!






Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários