Anulação do concurso público no Hospital Geral do Huambo coloca por um fio o cargo do Director da unidade sanitária- Luís de Castro



Hospital Geral do Huambo prestes a ser  transformado na principal "mina de ouro" de algumas figuras ligadas ao governo local e membros do partido no Poder, com orçamentos astronómicos e muitas comissões à mistura. 


Falta de transparência, nepotismo  preenchem o cardápio do Governo Provincial do Huambo, cujo os beneficiários são os mesmos "eruditos" de costume. 



Fisioterapia ao domicílio é na MZ Fisio. Contactos para marcação: 924170321, 998024880

O desfecho do último concurso público, realizado no início do segundo trimestre deste ano, não agradou os habituais "Empresarios de Ordem de Saque", que integram à rede de nepotismo instalada na Província do Huambo. 


O acto concursal foi anulado pela Direção Nacional de Contratação Pública (DNCP) por irregularidades. Ou seja, a empresa Makilo que seria preterida via concurso, em detrimento, de uma ligada à um membro do governo provincial apresentou um recurso à DNCP. 


Por sua vez, a Direção Nacional de Contratação Pública espoletou os mecanismos jurídicos para anulação do referido concurso público, com orientações da realização de um próximo concurso dentro de seis meses e orientações  para que permanecessem as empresa anteriores. 


Deste modo ficam frustradas as intenções de colocar as empresas ligadas a membros do governo provincial e afins, facto que poderá precipitar a exoneração do actual Director Hospital Geral do Huambo, Amilton Tavares. 


Praticamente, é dado adquirido que, o actual Director da principal unidade hospitalar da cidade Planaltica tem o seu cargo por um fio por não ter defendido os interesses da "classe dominante", que culminou com a  anulação do concurso. 


De acordo com fontes fidedignas, em retaliação a governadora Provincial pretende, nos próximos dias, exonerar o actual Director Geral do Hospital para no seu lugar nomear Fernando Ferreira Vicente. 


Por seu turno, para substituir Fernando Vicente na Administração Municipal do Huambo, é apontado o nome de Américo Cainda. 


Refira-se que, o referido concurso público destina-se ao recrutamento de empresas para prestação de serviços gerais, desde guarnição, alimentação, venda de medicamentos, limpeza, jardinagem e outros. 


No fundo um nicho de oportunidade para alguns membros do governo do Huambo que faturaram descaradamente sem suar, e muitas vezes atropelando os ditames da contratação pública, vigente no País.



Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários