Noé Baltazar, Lima Massano e Frederico Cardoso apontados pela imprensa portuguesa de serem os angolanos que compraram apartamentos de luxo na torre lisboeta Infinity


O empreendimento Infinity, na zona de Sete Rios, em Lisboa, já conta com mais de uma centena de apartamentos vendidos. Cerca de 70% dos compradores são portugueses.


O Infinity, projeto residencial de luxo de 90 milhões de euros da Vanguard Properties, já tem vendidos cerca de 60% dos 195 apartamentos, informa esta segunda-feira a empresa em comunicado.


A Vanguard assinala que as tipologias mais vendidas são T2 e T3, cujos preços oscilam entre 720 mil euros e 1,25 milhões de euros, e que entre os clientes contam-se compradores ingleses, brasileiros, angolanos e provenientes do Médio Oriente e da Ásia.




Fisioterapia ao domicílio é na MZ Fisio. Contactos para marcação: 924170321, 998024880

Segundo a imprensa portuguesa, José Lima Massano, Noé Baltazar e Frederico Cardoso, são alguns dos muitos angolanos que compraram apartamentos no empreendimento de luxo. 



O Infiniyy, que deverá estar concluído no verão do próximo ano, conta com 26 pisos e 195 apartamentos, com tipologias de T0 a T6 Duplex. O projeto conta ainda com 329 lugares de estacionamento, uma piscina exterior no 24.º piso, duas piscinas interiores - uma para adultos e outra para crianças -, duas salas de festas, um ginásio e um spa.


"O Infinity tem-se revelado um grande sucesso. A dimensão, localização e as linhas arquitetónicas são os principais fatores para o sucesso deste empreendimento. Para além, claro está, do ambiente e estilo de vida que o projeto proporciona. O Infinity prima por uma singularidade que, estando situado em plena Lisboa e sendo o edifício mais alto da cidade com uma vista impressionante sobre o Aqueduto, o Monsanto e o Tejo, oferece uma qualidade e um conjunto de serviços únicos e de excelência aos seus residentes proporcionado um estilo de vida mais próximo da natureza", refere José Cardoso Botelho, CEO da Vanguard Properties, citado no comunicado.



Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários