Angolanas e angolanos, meu povo martirizado: Minha família e famílias tradicionais do nosso glorioso MPLA- Dalva dos Santos



Dirijo-vos esse desabafo como filha, irmã e companheira que se desespera a cada dia.


Quando nós proclamamos a independência de Angola, estava eu com os meus 15 anos.

Muitos, lembrar-se-ão o quão foi agitada a tarde e noite de 10 de Dezembro. 

Muitos se lembrarão também, quando marchamos dia seguinte em direcção a cidade alta saudar o Presidente Neto, numa grande euforia. Lembro-me da Nicha, Meli e do Narciso a quem apelidamos de Ciso (lamentavelmente morto no 7 de Maio).


Todos brindamos, porque concluímos que tínhamos finalmente, expulso de Luanda e de muitas cidades, os atrasados e assassinos da FNLA e da UNITA.



Fisioterapia ao domicílio é na MZ Fisio. Contactos para marcação: 924170321, 998024880

Passados naltura cerca de 7 anos, isto é, por volta das 20h sensivelmente, do dia 22 de Fevereiro de 2002, achava-me em companhia dos meus compadres, no terraço do edifício onde residiam, na Rua Rei Katiavala, quando de repente vimos os céus de Luanda, engalanados com balas incendiárias. Entramos em pânico, contando que se tratava de um golpe de Estado. Felizmente, um primo ligado a secreta tranquilizou-nos, dizendo que, tinha morrido o Savimbi.


Lembro-me ainda que, naquela noite, vibramos e brindamos a vitória, por ter sido finalmente, morto o maior assassino em Angola, que até apelidamos de Sidónio.


Estamos hoje a caminho de 20 anos de Paz sem o sidónio.


A questão que não se quer calar, é: quantos angolanos, os do outro lado, os apoiados pelo imperialismo, os fantoches da FNLA e da UNITA, assassinaram?


Quantos angolanos morreram e que poderiam estar ainda vivos, desde que os assassinos do outro lado foram neutralizados?

Quantos angolanos estão neste momento a morrer de fome, de sede, de falta de assistência médica e medicamentosa?


“Euzinha”, Dalva, confesso hoje que, durante décadas vibrei e me orgulhei do trabalho que os nossos iluminados governantes realizavam. 

Longe de imaginar, que afinal, eu me alegrava à custa da tragédia que dia a pois dia, como passos lentos trepando degrau a degrau, estávamos a erguer o abismo neste País.


Dias antes da data comemorativa da morte do Presidente Neto, na companhia das minhas primas, enquanto estávamos aguardando pela audiência na baixa de Luanda no edifício sede da Sonangol, elas atacaram-me ferozmente (felizmente apenas com o verbo), por eu ter-lhes dito que o MPLA precisava de apoio para terminar o trabalho iniciado. Essa conversa surgiu porque elas estavam a reclamar a quantidade de expatriados que entravam e saiam com sinais claros de se tratar de consultores e assessores. 

Pasmem-se!

Pensar que estamos independentes, quando a soberania do nosso país está nas mãos de epatriados, pois são eles que contralam informações classificadas sobre a nossa economia e a política. 


Por conta dessa desavença entre nós, ontem levaram-me a visitar o Qero do GIKA, passamos pelo Rangel e fomos ao Mercado do 30 em Viana. De regresso, passamos pela zona do Kikuxi e fomos ver uma amiga de infância no Prenda e já por volta das 19h ao sairmos passamos pela Clínica do Prenda.


Chegada a casa, pensei no que vi e ouvi: O Qero escancarado, as pessoas empilhadas como se nunca ouvissem falar da Covid-19, as crianças nas ruas do kikuxi, correndo atrás das viaturas para vender produtos agrícolas diversos em horário de escola. No prenda em volta da Clinica, homens e mulheres deitados ao chão.......minha santa mãe Jesuina que Deus a tenha.


Oh!!!  Santánas Diabo te fizemos o quê????


Santo Deus!!!!!!!!!


Presidente Neto, Gentil Viana, Mário Pinto de Andrade, Hojia ya Henda, rogo-vos. Deiam-me forças estou destroçada por dentro e por fora. 


Despertem-nos a todos. De onde quer que se encontrem, iluminem-nos, para livrar-nos de tamanho abismo para o qual nos encaminhamos de forma teimosa e cega.


Maria mãe de Jesus!!!

Rogai por mi, por ter sido tão pecadora ao longo de décadas pensando que nós e o nosso glorioso MPLA eramos os bons santinhos e os assassinos são os outros.


A ti Savimbi te agradeço por teres te deixado morrer e acabar-se com a falsa desculpa, que sempre me mobilizou, pois, você era o culpado de tudo. Hoje a caminho de 20 anos desde que nos deixaste em Paz, só em cerca de 30 dias percebi o que vai errado neste país.


É uma confissão que faço e que espero toque as mulheres desta Angola. Toque as minhas colegas, amigas de infância, vizinhas e sobre tudo militantes do MPLA.


Se tudo o que disse antes me revoltou, o que me levou mesmo a desabafar publicamente e torna as coisas piores, é chegar à casa e ouvir a TPA e a TVZ, a falarem da porcaria da anulação de um Congresso que deveríamos ter como exemplo a seguir.


Tenhamos vergonha na cara pelo menos uma vez na vida. Estou a assumir publicamente o que muitos não conseguem, porque ao perceber a “Pocilga” em transformamos o país, perdi o medo de represálias. Mas também estou preparada para desafiar quem ousar intimidar-me. Sabem onde estou, a que família pertenço. É hora de dizer, chega de viver luxo na merda, porque quero um país com um futuro seguro para os meus filhos e netos.


Presidente João Lourenço, não leve o MPLA para o charco da porcaria.

Se tens de provar alguma coisa neste país, é aos angolanos, a quem o executivo precisa prestar serviços resolvendo os seus problemas.


Não faça do MPLA o espaço da sua vingança contra JES e companhia.


O MPLA sempre foi um Partido nobre e reconciliador. Por não seres das famílias tradicionais do MPLA, por teres comido no mesmo prato com os assassinos de ontem durante a sua infância, por teres estudado com eles, em fim, por teres partilhado com eles a sua infância, não precisas arrastar as instituições do Estado para a pouca vergonha que está a lixar o MPLA, pondo-o contra a maioria dos angolanos, a ponto de hoje, militantes de proa pronunciarem-se publicamente contra o Partido e populares apedrejarem as caravanas que se apresentam  nos bairros, a exemplo do que ocorreu no mercado do São Paulo, cujo vídeo rola nas redes sociais. Quem diria que o MPLA chegasse a esse potno!!!!


Deixe o Congresso que escolheu o Mulato dos outros. Sintam vergonha por serem tão racistas, que para fingir o vosso racismo, promoveram a intriga contra o Savimbi. Hoje a carapuça caiu e eu digo, que sinto vergonha e nojo por ter embarcado nessa mentira que o tempo desfez.


Permita que o nosso Congresso siga o exemplo deles. Que sejam os membros do Partido a escolherem com o seu voto secreto e entre múltiplos candidatos, quem vai dirigir o M.

Peço aos que têm currículo, não deixem o nosso MPLA, tão baixo, a ponto de voltar a fazer um Congresso com candidato único. Seria correr um risco que não se aconselha. 


Pare de procurar ganhar os jogos na secretaria. Dentro do MPLA com o seu subtil “Banquete Televisivo” destruíste o Dr. Pitra, um exímio quadro fino do MPLA. Com o tiro directo da fantochada luta contra a corrupção, procuras afastar um Quadro tão fiel e dedicado como o Dr. Boa Vida Neto. Salvo opinião contrária, mas é a percepção que tenho.


Afinal queres o quê?


Queres oferecer de bandeja o Poder aos seus conterrâneos e amigos de infância e ainda por sima pisando em nós? Se tens essa pretensão, tenha também coragem. Jogue limpo. Porque é isso que a Democracia exige.


Estou revoltada se calhar como tu, com tudo o que o Partido fez de mal. Mas, nada justifica a palhaçada que estás a fazer. Combater a corrupção enquanto você, seus filhos e amigos, continuam a roubar pior.

Sabemos muita coisa que está a acontecer desde que assumiste o Poder.


Quero para mim, meus filhos e netos uma angola aberta, harmonizada e não a Angola dessa tua gestão de ódio e perseguição que está a empurrar-nos todos e os do MPLA principalmente, para o caos.


Se JES realmente lhe fez algo que não saibamos, por favor diga-nos. Se for pelo que todos sabemos porque acompanhamos, confesso que não justifica. Porque você é parte de tudo o que de bom e de mal o MPLA fez neste país. 

Se até os da UNITA perdoamos, o quê que não podes perdoar?


A continuar como estão as coisas no Partido, além de mim, muito mais gente vai se pronunciar publicamente, sobretudo na véspera e depois do Congresso. Ali será tarde. Porque até o voto será abertamente direccionado ao Mulato da UNITA. 


Chamo-lhe assim, porque é isso que está a acontecer. Vocês são tão racistas dentro do Partido, que até fora não escondem. Esteve na UNITA o Samakuva. Porquê que não o perseguiram se a UNITA é a mesma? Ou será que é por ser seu parente por afinidade e por conta disso dava-te garantias de governares a francesa, a custa do MPLA e dos angolanos? Temes uma oposição forte? Para os meus filhos e netos, o MPLA precisa de uma oposição forte, para sair do Beco em que o vosso racismo o encostou. 


O Presidente João Lourenço não pode pensar que ele é o MPLA. Ataca e põe na lama as famílias nobres que ergueram o MPLA, fazendo de nós hoje, pessoas com vergonha de termos os nomes que temos.


Se alguém roubou em nome do Partido e das funções de estado, é correcto que seja levado à justiça. Isso é muito diferente do que está a ser feito. Taxar famílias inteiras de marimbondos, isso é demais é o cúmulo.


Sinto nojo admitir que todas ilustres figuras históricas do MPLA, são uns medricas que não conseguem criar contrapesos no Partido.


Termino lançando um apelo veemente no seio do Partido.

Somos realmente uma grande família porque assim foi no passado. Temos veteranos. Por favor, parem essa obsessão de perseguir pessoas dentro do Partido e na oposição. Está a fazer do MPLA um lixo autêntico.


Clamo pelo vossa sabedoria e intervenção. Amanhã poderá ser tarde.

1. Dr. Lopo do Nascimento;

2. General Ndalu;

3. General Armando da Cruz Neto;

4. General Higino Carneiro;

5. Dr. Roberto de Almeida;

6. Dr. Marcolino Moco;

7. Dr. Hermínio Escórcio;

8. Dr. França Van-dúnem;

9. Dr. Pitra Neto;

 

Como sempre, já escapei do 27 de Maio, não temo nada se não a falta de perspectiva de um futuro melhor para os meus Netos.


Viva Angola


Com Angola no coração 


Dalva dos Santos

Luanda, 7 de Outubro de 2021


Ano da Decisão Histórica para a salvação do MPLA



Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários