A propósito da teimosia política de Lucas Ngonda: A IDADE DE REFORMA PARA OS PRESIDENTES!- Salas Neto



O «chá da manhã» de hoje é com o ancião Lucas Ngonda, ao que parece, apeado há dias da presidência da FNLA, em qualquer dos dois congressos realizados em nome do partido. Um elegeu Pedro Dala e o outro Nimi a Sing, para substituição do velho, não se sabendo já qual deles o tribunal constitucional irá caucionar, havendo assim margem para se continuar a manobrar pela confusão, ao invés da união, no seio dos irmãos, a caminho do fim nas próximas eleições, caso o fuzué não seja estancado a tempo.

Não sei se o António Venâncio convidou o velho para ele confirmar a sua saída do activo, a fim de ir cuidar finalmente dos netos e bisnetos ou escrever as suas memórias, por um lado, ou se para apresentar alguma reivindicação por algum hipotético «golpe de estado» que possa ter sofrido, doutro. Foi a pensar na sua eventual insistência na conturbada liderança do partido dos irmãos, em busca de mais uma candidatura à presidência da república, a despeito dos seus respeitados 81 cacimbos já batidos, que cheguei à questão dos limites em termos de idade para o exercício da função.



Fisioterapia ao domicílio é na MZ Fisio. Contactos para marcação: 924170321, 998024880

Para falar verdade, não sei se a constituição já resolveu a omissão grave que continha em relação à idade máxima dos candidatos à chefia do estado, dando a possibilidade a que alguém de 115 anos de concorrer pelo posto, sendo que a mínima está fixada nos 35. 

Se ainda não se cuidou disso, gostava de apresentar umas ideias básicas a propósito:

1 - A idade de reforma devia ser os 75 anos.


2 - Posto isto, para salvaguarda do ponto 1, estaria vetada a candidatura a presidente da república aos cidadãos maiores de 70 anos sem mais conversa. 


Portanto, a ser assim, muito dificilmente teríamos casos de teimosia política AGUDA como o do ancião Lucas Ngonda.



Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários