Deixem de alaridos : Os jovens do Huambo não precisam do impulso da UNITA para denunciar má governação- Luís de Castro



Porquê tanto alarido e vitimização, afinal, "quem não deve não teme". Desde o anúncio nas redes sociais da vigília "Lotti Nolika ausculta a juventude do Huambo", marcada para o o próximo sábado (04.Set), pelas 17 horas, um evento organizado pelo Jango Cultural e conta com respaldo de várias organizações juvenis, que a Titular do "Poder Local" e seus sequazes não conseguem dormir. 

Em gesto de desespero circulam em várias plataformas digitais textos encomendados pela primeira Secretária e Segundo secretário do MPLA no Huambo, que até é marido da sobrinha (filha de criação da própria primeira secretária), no sentido de descredibiliza  os promotores da vigília, e para não variar, estão a ser conotados com o partido Galo Negro. 



A juventude do Huambo não precisa do impulso da UNITA para apontar o dedo a má governação, que pode ser vista a "olhos desarmados". 


A juventude não está a pedir outra coisa que não esteja ao alcance da governadora do Huambo, ou seja, a juventude está a pedir simplesmente dialgo com a governante da província. Dito de outro modo, a juventude está a pedir, simplesmente, que Lotti Nolika (LN) cumpra com os discursos orientadores do Presidente da República: dialogar com a juventude. 


O MPLA enquanto partido no poder deveria ser o primeiro a fomentar "pontes de diálogo" para melhor servir o governo. Aliás, "corrigir o que esta mal", significa isso mesmo. 


Se LN tem medo da juventude, então não imaginemos dos seus próprios opositores políticos. Nesta altura paira um clima de desconfiança no edifício do governo provincial e no partido, arranjando bodes expiatórios para eventuais descalabros. 


Não tenhamos memória curta, a actual primeira secretária do MPLA e governadora do Huambo quando foi hostilizada pelo seu próprio partido quem o defendeu são esses jovens que hoje ela está a fugir dialogar. Se LN tivesse memória de elefante não teria esquecido que, que  muitas vezes, enquanto segunda secretária, orientava os jovens que apresentassem as suas inquietações a antiga governadora e hoje, o mesmo procedimento já não colhe? Que fique claro vamos continuar a reivindicar os nossos direitos abraçando a ética Republicana. Jamais iremos entrar nesse joguinho de insultos, até porque punge o coração partir pela via da contestação muito pela ligação que temos com a actual governadora e muitos de nós têm os seus progenitores no actual governo, porém o bem comum deve sempre falar mais alto. 


Acredito piamente que nenhum dos "encomendalistas" que hoje estão a fazer textos insultuosos contra nós conhece a actual governadora como eu. Quando quis desistir da vida política por ser atacada pelos que hoje dizem defenderem,  eu estava com ela a chorar e a dar um abraço de filho. 


Alias, devo aqui vos dizer hoje que quando a governadora tomou posse, ligou-me a convidar para ser um Assessor "sombra". Entretanto, declinei o convite depois de ter denunciado negociatas à LN, e simplesmente limitou-se a ouvir e assistir serena e impávida, bem ao estilo do ouvido de mercador. 


Não tenho receio de dizer que conversei e aconselhei, vezes sem conta, a governadora provincial, e por via disso, fui convidado para ser recebido em sua casa. Contudo, declinei tais convites por entender que neste momento a nossa relação é de "governante e governado", e neste sentido, devo ser recebido no governo e com os jovens que lidero.



Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários