Angola: Diplomacia e Endividamento do Estado- Leonardo Quarenta



Existe uma grande diferença entre "Diplomacia Económica" e "Endividamento do Estado". O que o Presidente João Lourenço fez logo após à sua tomada de posse (viagens pela Europa e Ásia) pedindo dinheiro daqui e dacolà, aquilo nem de longe tem haver com "Diplomacia Económica", é mesmo "Endividamento do Estado", o que o Presidente fez foi endividar o Estado, porque em "Diplomacia Económica" os ganhos financeiros e económicos a favor do Estado são frutos de acordos e de projectos traçados a vantagem recíproca, é fruto da promoção internacional da imagem do País, dos seus recursos e riquezas, das exportações de bens e serviços, etc. Portanto, quando recebes vários milhões e bilhões de dólares de outros Países (chamando isso de "Investimento Directo Estrangeiro") e não aplicas os respectivos bilhões à projectos concretos para gerar estabilidade social, crescimento e desenvolvimento económico e financeiro a favor do seu País e dos seus cidadãos, isso não pode ser chamado de "Diplomacia Económica" é mesmo "Endividamento do Estado", é o que João Lourenço fez nos seus primeiros 2 anos de mandado: endividar o Estado, e até agora o faz. 



Fisioterapia ao domicílio é na MZ Fisio. Contactos para marcação: 924170321, 998024880

Os nossos dirigentes chamaram àquilo de "Diplomacia Económica", é falta de conhecimento, na verdade é mesmo "Endividamento do Estado", porque se perguntar-mos onde foram os bilhões dados pelos ocidentais e pela China durante às viagens feitas pelo Presidente ninguém responderá, dirão certas mentiras, mas concretamente ninguém responderá, porque foram desviados através de sobrefacturações e outras práticas contrárias à boa Administração do Estado.


A Diplomacia Angolana é um grande Fracasso


Por: PhD Leonardo Quarenta

Elite Intelectual Diplomática



Lil Pasta News, nós não informamos, nós somos a informação 

Postar um comentário

0 Comentários